Implementar estratégias de segurança quando continua a viver em conjunto

Por todo o tipo de motivos, pode não conseguir deixar o seu parceiro ou o alojamento que partilha. Existem estratégias que pode implementar para tentar proteger-se a si e aos seus filhos. Mas lembre-se de que nunca está seguro com alguém que já demonstrou ter comportamento violento ou de controlo.

Verificado por Gabrielle Hazan, Comissária de Polícia, em 18/11/2022

Estratégias

Se ainda está a viver com o seu parceiro ou ex-parceiro e este demonstra comportamento violento, lembre-se de que você e os seus filhos nunca estão completamente seguros. Como último recurso, pode tomar as seguintes medidas para ajudar a proteger-se.

  • É comum sentir-se envergonhada com o que está a viver. Mas encontrar a força para falar sobre isso é um passo muito importante.

    Pense nas pessoas em quem pode confiar e que a podem apoiar:

    • família 
    • amigos
    • vizinhos
    • colegas
    • profissionais de saúde
    • professores dos seus filhos 
    • outros pais em infantários ou escolas.
  • Ter um vizinho em quem confia pode ser muito útil:

    • diga-lhe o que está a viver
    • escolham uma palavra de código ou um sinal visual em conjunto que possa utilizar
    • decidam o que fazer em conjunto se utilizar este código, por exemplo, telefonar para a polícia pelo telefone 17.
  • Mesmo que isto não possa garantir a sua segurança, é importante conseguir encontrar ou criar espaços mais seguros em sua casa:

    • quartos onde não existam armas ou objetos que possam ser utilizados como armas, como facas, tesouras e ferramentas
    • quartos que tenham uma saída, se necessário, por exemplo, uma porta para o exterior ou uma janela no rés-do-chão
    • quartos que possam ser trancados, onde possa telefonar à polícia pelo número 17 ou enviar-lhes uma mensagem com o seu endereço pelo número 114.
  • Embora não possam garantir a sua segurança, há medidas que pode tomar para tentar proteger-se: 

    • mantenha o seu telefone sempre consigo para que possa telefonar para alguém próximo de si ou para a polícia em caso de emergência
    • afaste quaisquer armas potenciais, como facas, tesouras e ferramentas, ou mantenha-as o mais afastadas possível
    • identifique outras formas de telefonar à polícia se não tiver o seu telefone, por exemplo, com a ajuda de um vizinho ou num local público nas proximidades que esteja aberto à noite
    • guarde um conjunto de chaves sobresselentes num local seguro para o caso de o seu parceiro lhe retirar o seu
    • adquira o hábito de atestar o depósito de combustível e de manter o seu veículo pronto a utilizar, caso tenha de sair subitamente
    • evite usar acessórios à volta do pescoço, como lenços e colares compridos
    • mesmo que ainda não esteja a planear deixar o seu parceiro, organize-se para o dia em que decidir fazê-lo.
  • É essencial proteger as crianças tanto quanto possível contra o comportamento violento do seu parceiro:

    • diga-lhes que nunca devem intervir numa situação de violência
    • identifique um local onde possam estar seguras se o seu parceiro se tornar violento
    • defina um sinal com elas para que saibam quando procurar ajuda ou sair de casa
    • ensine-lhes a pedir ajuda.

Encontrar apoio

Em França, existem muitos serviços que a podem apoiar, aconselhá-la e ajudá-la nos procedimentos e documentação. A maior parte deles é gratuita.

  • Este serviço de aconselhamento telefónico destina-se a pessoas que enfrentam todos os tipos de violência e às que as apoiam.

    • Este serviço é gratuito.
    • Pelo telefone, um consultor qualificado irá ouvi-la e apoiá-la. Podem depois encaminhá-la para serviços relevantes perto de si.
    • Idiomas disponíveis: francês. Por vezes estão disponíveis os seguintes idiomas: inglês, árabe, espanhol, turco, mandarim, chinês, curdo, azeri, polaco, hebraico, persa, soninké, crioulo, quiniaruanda, kirundi e suaíli. Neste momento, infelizmente, estes idiomas estão disponíveis de forma irregular e não programada.
    • Contacto: ligue 3919, disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. A chamada não irá aparecer na sua fatura de telefone.
    • Para pessoas que sofrem de surdez ou têm dificuldades auditivas, pessoas com afasia ou deficiências linguísticas, pode aceder a um serviço adaptado às suas necessidades, clicando no ícone de telefone na parte inferior direita do site www.solidaritefemmes.org.
  • O papel da polícia é garantir a segurança de todas as pessoas, seja qual for a sua situação, mesmo as pessoas sem direito de residência em França. Um agente da polícia poderá aconselhá-lo e oferecer assistência 24 horas por dia, 7 dias por semana. Pode contactar a polícia de quatro formas principais:

    • Por telefone: ligue para o número 17, um número gratuito. Idiomas disponíveis: interpretação em todos os idiomas.
    • Por mensagem de texto: envie uma SMS para 114, em francês, indicando o seu endereço exato.
    • Online: serviço de chat. Este serviço está disponível em diversos idiomas.
    • Dirija-se a qualquer esquadra de polícia, ou seja, um "commissariat de police" ou uma "brigade de gendarmerie". Pode encontrar a esquadra de polícia mais próxima de si neste site. Se não falar francês, terão de encontrar um intérprete, o que pode demorar algum tempo.
  • Existem dois serviços que o podem assistir em caso de emergência médica em França. 

    O serviço de ambulância chamado "Service d’aide médicale urgente (SAMU)" e os serviços de emergência chamados "pompiers". Se precisar de assistência médica de emergência, podem ajudá-lo rapidamente e levá-lo para um hospital próximo.

    • Em caso de emergência com risco de vida, não terá de estar inscrita no serviço nacional de saúde ou de possuir um título de residência válido para utilizar estes serviços.
    • Se existirem taxas por considerarem que não é uma emergência, estas podem ser cobertas pelo seu seguro de saúde público e privado.
    • Idiomas disponíveis: interpretação em todos os idiomas.
    • Contacto: ligue para o 112, um número gratuito disponível 24 horas por dia.

Embora tenha havido o máximo cuidado para lhe apresentar as informações mais exatas e atualizadas, esta página não se destina a substituir aconselhamento jurídico ou profissional. As leis e os procedimentos mudam regularmente, pelo que é importante consultar profissionais qualificados.

Para intervenção policial:

Ir para cima